sexta-feira, 31 de julho de 2015

O leão e o repolho

         Muita gente acha contraditório e hipócrita protestar contra a morte do leão Cecil se não estamos nem aí para o abate diário de milhares de bois e vacas que vão virar picanha e bife. Bobagem. 

         Estas mesmas pessoas não percebem que elas já fazem na prática a diferenciação entre os seres. Por que oferecemos uma rosa a quem amamos? Por que não oferecer um repolho? Ora, porque a rosa é mais bela, tem perfume e é carregada de simbolismo, Dante Alighieri mostrou. Até os animais conseguem perceber a beleza (o pavão exibe a sua cauda maravilhosa para atrair a fêmea).


          Dizer que o repolho é comestível é só argumento (de) pobre. A finalidade da flor não é matar a fome da mulher amada. É dizer que a ama. Para matar a fome, aí, sim, melhor o repolho. Pensando bem, eu prefiro um filé de salmão, com ervas finas, amêndoas e vinho branco. Francês.

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Querem pautar Francisco? Esqueçam

        Esta insistência cerrada em acusar Papa Francisco de comunista é sussuro do diabo. É para dividir, desorientar, desacreditar e enfraquecer a autoridade do Vigário de Cristo. Papa Francisco sabe o que ele é, quem ele representa e quem o assiste. Por isto, é sempre o mesmo, fiel a Jesus Cristo e à Igreja. 

       Quem ouve sua pregação, suas homílias, suas palavras de pastor do povo de Deus não se abala com o que o mundo diz de Francisco. Ele não muda o discurso para provar que é bonzinho, para agradar o sinédrio de católicos que o demonizam e não lhe dão trégua nem descanso. 

       Querem pautar o Papa, perdem seu tempo. É homem de Deus. Deus ilumine e fortaleça Papa Francisco.

sábado, 11 de julho de 2015

Espiritismo cristão? Não tem

       Por que católicos vivem postando frases de Chico Xavier? Para quê? Ainda que seja correta e a frase faça sentido, para quem não sabe e nem vê perigo em ser espírita, esta pode ser uma maneira de fazer crer que a doutrina que Xavier defende deve e pode ser coisa boa, a ser seguida e praticada.

       Chico Xavier é um médium que fala com os mortos (a necromancia, a evocação dos mortos, é 'abominação' para nós, católicos). Quando ele afirma que "quem acredita realmente em sua religi
ão não tem tempo nem necessidade de criticar a fé dos outros", há aí uma evidente contradição.

       Os espíritas dedicam grande parte de seu tempo a ofender o cristianismo, particularmente a Igreja Católica, acusando-a de deturpar e manipular as Sagradas Escrituras. A Igreja teria retirado da Bíblia a referência à reencarnação* , anunciada, segundo eles, pelo próprio Cristo, ao referir-se a João Batista como nova encarnação de Elias. Bobagem.

0      Aliás, criticam a Igreja mas, quando Allan Kardec criou a doutrina espírita, a primeira providência foi apropriar-se da figura de Jesus Cristo, orientando para que o espiritismo 'fingisse' ser cristão para angariar adeptos. 

       Na verdade, o espiritismo nega no mínimo quarenta verdades reveladas, sendo uma doutrina herética sem mais. Do cristianismo, adotam só a regra moral 'amai-vos uns aos outros e ao próximo como a ti mesmo'. Para ser cristão, católico!,isto não basta.

       PS: * O apóstolo Paulo escreveu: “E, como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo depois o juízo, assim também Cristo, oferecendo-se uma só vez para levar os pecados de muitos, aparecerá pela segunda vez, sem pecado, aos que o esperam para salvação.”Hebreus 9:27 e 28)

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Futriquices de jornalista

Este texto começou como uma resposta a um daqueles seres que charfurdam no pântano olavístico e acabou virando outra coisa. No link abaixo, o post e os comentários no Facebook*: Para início de conversa, Vitor Vieira** é fake. 'Tô nem aí. Agora, ele achou mesmo que eu não ia descobrir que sua história era lorota? O gênio achou que era só chegar na minha página no Facebook e despejar que "eu conheço Tiago de Pauli pessoalmente e sei que Olavo andou ajudando bastante com o problema que ele anda tendo, mas sem fazer propaganda de si mesmo no facebook, sabe como é?". E que 'eu sei da história do Tiago e sei onde que o Olavo entra nisso"? Falou, mas não contou. Por quê? Porque não tem história nenhuma! Tosco, trouxa, babaca. Falou demais o pateta. Devia ter se limitado ao rame-rame, aquela bobageira de quem quer defender o guru picareta. Eu só demorei para desmascará-lo, o ordinário, porque eu estava cuidando de outras coisas. Mas meu faro não falha, sou perdigueiro, descubro tudo. Eu pressenti e fui conferir. Vejamos: Vitor Vieira é uma pessoa que conhece pessoalmente Tiago de Pauli, que teve com ele conversas frequentes e íntimas, Tiago lhe deu informações que sonegou a todo o círculo de amigos que o estava ajudando. Tiago de Pauli só contou a ele, Vitor Vieira, sobre a ajuda e a solidariedade caridosas que Olavo de Carvalho lhe ofereceu neste momento difícil e - supresa - Vitor Vieira não está sequer na sua lista de amigos e não há um único comentário de Vitor, curtida, compartilhamento ou, pelo menos, um seu cumprimento de aniversário na página de Tiago de Pauli, este que é seu amigo íntimo e pessoal. E mais - o Google não apresenta um único resultado unindo 'vitor vieira - tiago de pauli'. Não é uma gracinha? Era melhor Vitor Vieira se informar antes de falar pelos cotovelos. O próprio Rubens Enderle, que criou a campanha para ajudar Tiago, informou que Olavo de Carvalho sequer tem o número do telefone de seu aluno desesperado e suicida, e que Tiago não usa o skype porque não tem microfone. Logo, eles nunca se falaram pelo telefone. Esquece. Ah, a conversa entre eles era inbox? Puxa vida, tanta conversa e nenhum pedido ou oferta para que a página de Olavo de Carvalho fosse usada em favor do rapaz necessitado, com uma postagem que fosse, incentivando os alunos e seguidores do Guru a colaborar? A verdade é que Tiago de Pauli estava gritando por socorro e esta gente piedosa e superior que integra o olavismo - e que faz parte da lista de amigos do rapaz - não deu nem tchum. A ajuda só chegou agora, depois que eu denunciei a negligência, o desprezo e o abandono em que largaram Tiago de Pauli. Até então,Tiago só tinha recebido um ou outro caraminguá de doação. Deus é assim: de todo jeito, Ele acha um jeito de fazer o Bem. Olavo de Carvalho - é bom notar - não esticou a conversa sobre o imbroglio Tiago de Pauli, e quis fazer crer que ele não sabe direito quem é o rapaz. Um aluno entre milhares, afinal, o Mestre dos Magos (não é este o epíteto, Adriano?) tem três mil alunos, duzentos mil seguidores... Esperto que é, Olavo passou a referir-se a Tiago de Pauli como alguém com 'um problema psiquiátrico' e 'meu aluno que sofria de depressão'. Não é bem assim.  Olavo sabe quem ele éTiago é olavete há quinze anos. Eles já trocaram idéias e opiniões durante bom tempo. Eu tenho prints de posts em que OdeC pede a Tiago para corrigir erros que este venha a encontrar no seu livro sobre Aristóteles; afinal, nem ele, Olavo, leu o livro com tanta atenção e cuidado quanto Tiago.
Tiago de Pauli caiu em sua própria armadilha. Formado em Pedagogia, professor e empresário, o moço foi se perdendo nas (des)orientações de salafrários e espertalhões que o convenceram de que devia lagar tudo e dedicar seu tempo, seu dinheiro e sua alma à aquisição da 'alta cultura' e ao combate ao comunismo. Meteu-se com gente que quer levar as almas para o abismo. Olavo de Carvalho é o grande sacerdote desta seita maligna. O 'amigo' de Vitor Vieira é aluno e seguidor de Rafael Falcon, de Luiz Gonzaga, o Gugu, esta turma. Meia hora antes de atentar contra a vida, cortando os pulsos, Tiago estava conversando em sua página com Rodrigo Gurgel, o amigo do Guru. Tanto discernimento e cultura de Rodrigo Gurgel e não percebeu o desespero suicida de Tiago?  
A verdade é que Tiago de Pauli estava gritando por socorro e esta gente piedosa e superior que integra o olavismo não deu nem tchum. A ajuda só chegou agora, depois que eu denunciei a negligência, o desprezo e o abandono em que largaram Tiago de Pauli. Antes, foi só um ou outro caraminguá. Deus é assim: de todo jeito, Ele acha um jeito de fazer o Bem. * https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10203808405684458&set=a.3237686554909.118240.1649103363&type=1&theater ** https://www.facebook.com/vitor.vieira.3726?fref=ts

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Celibato: problema não é a esposa, mas a fé.


   
    "Reinaldo Azevedo insiste em  abordar o celibato como norma disciplinar, omitindo toda e qualquer referência aos fundamentos teológicos da questão. Pera lá, se pode discordar e contra-argumentar, não se pode é induzir pessoa a que pensem que eles não existem. Cito aqui alguma coisa que extraí do artigo do jornalista e escritor italiano Antonio Socci (releve a tradução, é ousadia minha):
     Primeiro, a chamada 'crise das vocações' e a secularização atingem também (e mais) as confissões protestantes e as igrejas ortodoxas, que não têm o celibato eclesiático. Segundo, estatísticas recentes demonstram que na Igreja Católica estão aumentando as vocações mais rigorosas, como aquelas de clausura, enquanto diminuem as vocações seculares onde há mais proximidade com o mundo e o ativismo social.
    Quanto a ser o celibato simples 'norma disciplinar' que se pode tranquilamente mudar, isto não é verdade. O cardeal Alfonso Stickler, perito do Vaticano II, do novo Código de Direito Canônico, e autor do livro "O celibato eclesiástico. A sua história e os seus fundamentos teológicos", diz que não é possivel entender as instituições da Igreja sem compreender as bases teológicas que lhes dá origem. Inclusive o celibato eclesiástico.
    O cardeal rebate, de saída, a versão errada de que o celibato dos padres remonta à segunda metade do século XI e que, antes, os sacerdotes se casavam. Segundo Stckler, não conhecemos nenhuma decisão eclesiástica que tenha introduzido como inovação o celibato, que, ao contrário, remonta a uma ininterrupta tradição não escrita, a uma prática de origem apostólica, muito provavelmente divina.
     É verdade que o próprio Pedro era casado, mas foi casado antes do chamado de Jesus e - explica o cardeal - a lei do celibato eclesiástico consiste na obrigação da "continenza da ogni uso del matrimonio dopo l'ordinazione (de se evitar todo tipo de matrimônio depois da ordenação)'. Isto se tornou a norma do celibato porque " a origem de todo ordenamento jurídico consiste na tradição oral e na transmissão de normas consuetudinárias as quais somente lentamente recebem uma forma fixada por escrito".

    Voltando às origens, encontramos também razões teólogicas do celibato. Porque no Novo Testamento, o sacerdote não é mais um homem que desenvolve um serviço religioso, mas uma pessoa que se doa inteiramente por amor, como Cristo à sua Igreja. E que de Cristo recebe prerrogativas e poderes divinos. Numa magna carta sobre a teologia do sacerdócio, de 1992, afirma-se: "É particularmente importante que o sacerdote compreenda a motivação teólogica da lei eclesiástica do celibato. A Ordenação sagrada configura o sacerdote a Jesus Cristo Cabeça e Esposo da Igreja. A Igreja, como Esposa de Jesus Cristo, quer ser amada pelo sacerdote de modo total e esclusivo com que Jesus Cristo Cabeça e esposo a amou. O celibato sacerdotal, pois, é dom de si em e com Cristo à sua Igreja e exprime o serviço do sacerdote à Igreja em e com o Senhor".
    Socci encerra o seu artigo citando o padre italiano Livio Fanzaga, que, ao comentar o assunto do fim do celibato, afirmou: O problema não é a esposa, mas a fé".