terça-feira, 31 de julho de 2012

Futebol é coisa de macho



          Eu tenho paixão por futebol, acho Marta craque (ela é do Santos, e eu sou santista), mas não tenho qualquer interesse em ver jogo de futebol feminino. Futebol é coisa de macho, de homem viril, másculo, é jogo de força, de músculos, de se jogar contra o outro, entrar com tudo, nas divididas. 


    Resultado: ou as mulheres se tornam meio machos (e são, algumas são homens brutos) ou terão que jogar como mulherzinha, com delicadeza e cuidado. Aí, não é futebol, melhor mudar de esporte, futebol rosa shock não existe. Se é para ver força, músculo e jogo viril, eu vejo futebol jogado por homens de verdade, ora.


    Minha filha gosta muito de praticar esportes e começou a fazer pólo aquático no Clube Payneiras, aqui em São Paulo. Logo, estava na seleção, disputando campeonatos. Com os exercícios que o esporte exige ela começou a ficar com as costas e os músculos das pernas e braços maiores do que o próprio pai (um homenzarão forte e musculoso). 


    E mais: só andava vestida com uniformes esportivos, cabelos molhados, carregando mochilas imensas e pesadas para lá e pará cá. As amigas e colegas do pólo também só andavam assim, desleixadas, mal vestidas e carregando peso. Não tinham delicadeza nem graça feminina. 



    Opa, rodei a baiana. Mandei parar com aquele esporte. Minha filha protestou dizendo que, por causa do esporte, ela convivia com os gatinhos do pólo masculino, todos deuses apolíneos. 


    Ao que eu observei: "Os rapazes do polo namoram as gatinhas do balé". Pressionei tanto que ela largou. Hoje, ela agradece a mim. Pólo aquático, como o futebol,  é esporte de homem, alguma dúvida?

7 comentários:

  1. Não, nenhuma dúvida, vossa excelência Mirian Macedo, você é a rainha do correto. Você sabe de tudo. Viva Mirian Macedo e sua eloquência!

    ResponderExcluir
  2. Eu concordo com você,Mírian.
    Gosto de jogar futebol, mas acho que é um esporte para homens. Marta joga muito bem e sabe honrar a camisa, mas assistir futebol masculino é muito mais atrativo que o feminino. Talvez porque sempre foi assim, o futebol é mesmo pra homem e sempre foi pra homem. Não há discussão, porém não podemos negar que tem muitas mulheres que jogam maravilhosamente bem.
    Em relação sua filha, acho que você fez um boníssimo trabalho. rs

    ResponderExcluir
  3. Concordo em gênero, número e caso!

    ResponderExcluir
  4. "E mais: só andava vestida com uniformes esportivos, cabelos molhados, carregando mochilas imensas e pesadas para lá e pará cá. As amigas e colegas do pólo também só andavam assim, desleixadas, mal vestidas e carregando peso. Não tinham delicadeza nem graça feminina."

    Hm, mas E DAÍ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A filha é dela, o que tens a ver com isso? ;)

      Excluir
  5. .
    Bem, e daí que, como costumava dizer antiga propaganda: "Cada um na sua e todos com SUKITA"! Homem e mulher, embora iguais em dignidade perante Deus, são claramente diferentes e COMPLEMENTARES! Mulher-estivadora e homem-cabeleireiro, são, para mim, coisas antitéticas por natureza.
    .
    A mulher, abrir mão da feminilidade e da sua graça naturais e o homem, aboiolar-se para entreter clientes com ti-ti-ti, estão contrariando a sua natureza essencial. É claro que os casos estão por aí aos montes, assim como políticos corruptos (corruPTos, principalmente), chacinadores, traficantes, pedófilos, etc.
    .
    Não estou dizendo que os que incorrem em DESVIO (desculpem-me, mas a palavra é essa mesmo e constava do CID - Catálogo Internacional de Doenças da OMS até a furiosa ação do chamado "Movimento Gay", ter conseguido removê-la, na década de 70) são criminosos, mas sim que tem um comportamento antinatural como aqueles. E, principalmente, que quantidade numérica não torna coisas erradas em certas (senão haveriamos de descriminalizar aqueles, não?).
    .
    Veja-se que de fato é um fenômeno (evento observável por sí só) que existe, até pelo seu contrário radical que é o fenômeno das antigas "namoradas-de-pagodeiro" ou "marias-chuteira" atualmente denominadas, englobada e glamurosamente, de PERIGUETES, tipos quase indistinguíveis entre si e "pasteurizadas" por denominadores comuns (cabelos longos, lisos, de preferência "louros", calças à vácuo ou vestidos curtíssimos colantes, longos saltos, "turbinas" frontais - e traseiras também, às vezes, e jeitinho de "orgasmos fáceis e promissores"). Uma "coisificação" mequetrefe da verdadeira feminilidade! Pura exposição de carnes "para consumo", como naquelas vitrines de churrascarias brasileiras no Exterior.
    .
    E depois, as ditas, que são seres humanos do sexo feminino como todas as outras, de todos os tempos, saem por aí dizendo que os "caras", ou são "pegadores" inconsequentes ou "viados" sem iniciativa. E o que todas querem, no fundo são as mesmas coisas de sempre: amor, carinho, atenção e dedicação. Enfim, "um homem prá chamar de seu"!
    .
    E um figurino muito despojado e pouco feminino não contribui lá muito para isto, não é?!

    ResponderExcluir