quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Malafaia X Gabi: a loura perdeu.


     Repórter não discute, nem opina, repórter pergunta. Marília Gabriela está lá para perguntar e provocar, isto ela sabe fazer com competência. Na entrevista com o pastor Silas Malafaia, Marília Gabriela quis meter os pés pelas mãos e falar do que não sabe; estrepou-se. Malafaia pulverizou-a. Bem feito.

     A loura nada sabe de ciência nem de religião, mas tem lado: defende todos os mantras politicamente corretos da esquerda (aborto, gayzismo, etc). Malafaia é contra e não amarelou. Deixou a loura militante desconcertada. 

     Gabi está acostumada a entrevistar pessoas para quem ela só tem que levantar a bola. Desta vez, encontrou quem a enfrentasse. Malafaia só não calou Marília Gabriela porque ninguém cala uma mulher. 

      O que ficou claro, pelo que se falou depois da entrevista,  é que qualquer pessoa que ouse falar em religião, na Bíblia ou pronunciar o nome de Nosso Senhor Jesus Cristo é rebaixado, independente do que fala, à condição de tosco, precário, indigente mental, obscurantista e retrógrado. 

      Em contrapartida, qualquer 'iluminado' que defenda a manjada cartilha libertária (gayzismo, abortismo, eutanásia, ateísmo, liberação de droga, legalização da prostituição etc) é incensado e louvado nas alturas. Impressionaram o apoio a Marília Gabriela, a torcida para que ela ganhasse a discussão e o sucesso do vídeo "Resposta de geneticista a Silas Malafaia".

     Pode-se criticar a abordagem do homossexualismo feita pelo pastor; afinal de contas, as suas causas e fundamentos ainda são questão aberta, não há conclusão se ser gay é genética ou comportamento ou uma mistura dos dois. 

     Há uma profusão de teorias explicativas, envolvendo/excluindo fatores biológicos, psicológicos, culturais, morais, espirituais etc. Mas as objeções à argumentação de Malafaia não tiram o brilho da entrevista. 
     
     A verdade é que não há nenhuma prova científica conclusiva de que homossexualismo tem fundamento genético. Nem de que não tem. O pastor poderia ter sido mais coerente ao argumentar. Se, por um lado, ele afirma que não há pesquisa científica provando nada, ele não poderia declarar categoricamente que homossexualismo é só comportamento.
     
     
     Mas se Eli Vieira, o geneticista, fosse honesto e conseqüente, do ponto de vista científico, ele também teria que dizer que o assunto está sob investigação, que o debate não está encerrado, por aí. Porque este é o 'status quaestionis', no que diz respeito às causas, origens, bases e fundamentos do homossexualismo. 

     E eu pergunto: qual é a autoridade científica de Eli Vieira, que não tem mais que 25 anos? Um bacharelado e Licenciatura em Ciências Biológicas na UnB (sou formada em Jornalismo pela Universidade de Brasília, entrei em 72 e saí em 1980, quando a UnB já não era granché; aliás, nunca foi) e um mestrado em "Evolução molecular de loci associados ao comportamento humano", na UFRS.  

     O doutorado em Cambridge - Eli faz crer que ele já é doutor - foi iniciado somente este ano. Ele se formou em 2009, é só fazer as contas. Este currículo jamais seria suficiente para tanto "como eu já mostrei" e "simples assim'.

               Não é preciso recorrer a nenhum revista especializada em Genética para colocar em xeque todas as 'provas' que o 'geneticista' Eli Vieira apresenta.  Em 2007 (e nada mudou substancialmente desde então), a revista Galileu publicou extensa matéria cujo título é "O polêmico gene gay" (1).

     A publicação cita pesquisadores contra e a favor da teoria de que o homossexualismo tem base genética e demonstra cabalmente: não há nada provado sobre gene gay, nem sobre gêmeos univitelinos terem maior probabilidade de serem ambos gays.

     Uma pesquisa com gêmeos univitelinos chegou a 60% de probabilidade; outra, num universo mais abrangente, achou 7%, o suficiente para levar seus autores a afirmar que, "se há influência genética (no homossexualimso), ela é inexpressiva". Repetindo: a ciência nada pode dizer de concreto sobre a questão e a genética é a área que apresenta mais dificuldades para que se obtenham resultados confiáveis.

     Há outro aspecto a ser considerado: se querem impugnar os argumentos de Malafaia por ele ser um homem da religião, Eli Vieira é um militante gay. E ateu. Ele é presidente da LiHS- Liga Humanista Secular, que ostenta orgulhosa, entre os prêmios recebidos (o único), o Troféu Triângulo Rosa do Grupo Gay da Bahia. 

     A LiHS é uma Ong que "apóia  pessoas não-religiosas que buscam viver eticamente sem crenças sobrenaturais e supersticiosas e que trabalha por uma sociedade aberta, com liberdade de crença, liberdade de expressão, e laicidade nas leis, na educação, na mídia, e no cenário público em geral, sem privilégios para a religião, especialmente a historicamente estabelecida".

     Uma curiosidade: entre os Membros Eméritos da Liga Humanista Secular, figuram o deputado homossexual Jean Wyllys, do PSOL; o filósofo ateu, Daniel Dannett; o lingüista americano, também ateu, Daniel Everett; a antropóloga abortista, Débora Diniz e a militante ateísta, a finladesa Åsa Heuser, que é vice-presidente da LiHS.

     (Um parenteses: Heuser ganhou notoriedade, tempos atrás, ao defender o militante ateu, Haroldo Galves, acusado de pedofilia. A polícia encontrou em seu poder 65 mil fotos de crianças nuas, arquivadas em seu computador pessoal. Sobre Galves, Ana Heuser declarou:

    "Ele nunca foi acusado de nada além de possuir algumas fotos de nus de menores de idade; principalmente não há uma única acusação de qualquer contao com alguma criança". (Comentário do site Marxismo Cultural: "Aparentemente, para a Sra. Ana Heuser, ativista ateísta, Vice-Presidente da Liga Humanista Secular do Brasil, ter fotos de crianças nuas é perfeitamente normal").


           Voltando a Eli Vieira, para complementar as informações sobre seu  painel de interesses, basta entrar na sua página  no Facebook e dar uma espiada no que ele 'curte'. Ali, acaba o mistério:

"Cem homens em um ano 
Lgbtts Ateus e Agnósticos,
Feminews
Direitos dos Animais

Homem Feminista de Verdade
Assentamento Milton Santos
Anarcomiguxos
Católicas Pelo Direito de Decidir - CDD 
Atéia - Associação de Atéios e Agnósticos 
Aborto é um Direito. Pela legalização do aborto no Brasil"   

     Quanto à Teoria da Evolução,que Eli Vieira brande como o Troféu Fiat Lux da ciência,  a única coisa sensata que se pode afirmar é que ninguém sabe se ela aconteceu ou não.

     Além disto, é preciso saber de que Teoria da Evolução estamos falando: intra-espécie ou inter-espécie? Macro-evolução ou micro-evolução? Dentro da mesma espécie é uma coisa. Uma virar outra...opa! Calma que aí complica. Hoje, a Teoria da Evolução é que virou religião. Crença cega.

     Quanto ao pastor Silas Malafaia, eu, às vezes, o apoio e estou do lado dele; em outras ocasiões divergimos. Desta entrevista, eu gostei. Eu sou católica, logo, tenho implícitas divergências teológicas com Silas Malafaia. Nenhum problema, religião se discute. Fé é que não se impõe.

     Mas, minhas ressalvas mais sérias a Malafaia são as que dizem respeito ao apoio (inaceitável e inadmissível) que ele hipotecou ao petista Lula na sua campanha de 2002 e à sua reeleição em 2006, em que era escancarada a defesa pelo PT do casamento gay e do aborto. Um cristão não pode aceitar o aborto e o casamento entre homossexuais em hipótese alguma.

     (Ele também apoiou FHC: ainda que o PSDB não inclua a defesa do aborto e casamento homossexual em seu programa, o partido aceita as duas teses, como ficou claro na elaboração do PNDH-1 e 2, alterado para pior pelo PT no PNDH-3. Entre PT e PSDB, melhor PSDB, claro). 

     Apesar do erro de apoiar Lula, Malafaia teve a coragem de rever sua posição e, na eleição de 2010 para Presidente da República, ele declarou seu voto contra Dilma Rousseff e contra Marina Silva pela defesa que seus partidos - o PT e o PV - fazem do aborto e do casamento gay. 

     Convém não esquecer que o cristão Silas Malafaia foi um dos únicos na comunidade evangélica - junto com o abençoado e brilhante Pastor Paschoal Piragine Jr., da Primeira Igreja Batista de Curitiba - a desencadear uma campanha corajosa contra o PT na campanha de 2010. A questão era a defesa da legalização do aborto no programa do Partido dos Trabalhadores.

     Por ocasião da votação da PL 122, Malafaia foi, com milhares de pessoas, para a frente do Congresso Nacional denunciar a aberração do projeto de lei (que criminaliza a homofobia e fere a liberdade de culto) e defender a família brasileira. 

     Quanto à denúncia de enriquecimento da Forbes, o assunto está fora da minha alçada. Chamar Malafaia de ladrão, eu tenho que ter provas. Malafaia prometeu processar a revista. Aguardemos

(1)http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG80153-7943-197-1,00-O+POLEMICO+GENE+GAY.html

PS: Há um texto sobre homossexualismo escrito pelo psiquiatra de Curitiba, Eduardo Adnet, que formou-se em medicina há 25 anos (a idade de Eli). Vale a pena ler o ensaio de Adnet. A abordagem é bem ampla: médica, sociológica, psicológica e ideológica.http://dradnet.com/section1/homossexualismo-homossexualidade-e-doenca.html

12 comentários:

  1. Olá Mírian Macedo! Acabei de assistir a entrevista e concordo em gênero, número e grau sobre o que falou no texto. Também sou católico e não compartilho das ideias da teologia da prosperidade, mas a firmeza que pastor Silas Malafaia fala é de invejar (no bom sentido). Se houvessem padres e bispos com essa firmeza e sem a fala mansa do politicamente correto creio que nós teríamos outra perspectiva à frente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Continuando. Que coisa mais esquisita , eu amo bandido , eu vou amar um destruidor da sociedade, nunca jamais, tem espíritos encarnados mal feitores que são irrecuperáveis, esta casta foi jogada aqui com esta finalidade gerar o caus, mas por um certo período de tempo e nunca p sempre . SR Malafaia o sr tem que rever os seus conceitos, então vamos la na bíblia onde o sr tanto se justifica e se esconde. Considero que a Bíblia realmente tem uns livros inspirados divinos, mas outros nem tanto e bastante questionáveis , o sr só tem esta fonte, e fes um curso de teologia e tomou posse deste pseudo deus, na bíblia não tem nem dês por cento da tragetoria de Cristo e os evangelhos dos apóstolos são controversos e incompletos. a historia real de cristo é muito mais fascinante do que trata a biblia. O sr não conhece, mais a frente vou mostrar um exemplo de omo sexualidade la na sua biblia

      Excluir
    2. Verdade, Fabrício. Não sou católica, sou presbiteriana e tb não compartilho com a questão da teologia da prosperidade, mas concordo com vc em relação ao Malafaia.

      Outra coisa, não são somente os não católicos que têm essa coragem, há tempos ouvi um sermão muito bom de um padre que fala a respeito da família e das questões homosexuais. Deixo o link para você:

      http://www.youtube.com/watch?v=7fg4x-EdG1k

      Abraços

      Excluir
  2. Olá,
    " eu amo os homossexuais como amo os assassinos." que pérola da sabedoria cristã...
    Outra coisa, A Marilia não está ali como "repórter" e sim como entrevistadora, com programa próprio e pode, sim, emitir opinião, como um Jô soares emite, como um Bóris Casoy e muitos outros.
    Mais honestidade, por favor.
    E, aliás, quem acabou pulverizado foi ele, com a maravilhosa chave de ouro da Gabi, que o deixou mudo no fim.
    Pior cego é aquele que não quer ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Entrevistadora é repórter. Repórter faz entrevista.

      Excluir
  3. A melhor coisa que li sobre a entrevista em toda internet, e olha que rodei por aí hein. Bom ter sido compartilhado pelo Mídia Sem Máscara.

    Parabéns pela lucidez e honestidade nas palavras!

    ResponderExcluir
  4. Creio que a Gabi posiciona-se dentro do grupo de programas de opinião. Trata-se de uma entrevista? Sim. Mas nunca de uma reportagem. Reportagens são imparciais, prezam pela voz do entrevistado como verdade absoluta, pois estes são considerados fontes. O que, nem de longe, é o caso. O programa "De frente com Gabi", dentro de um jornal impresso, seria facilmente comparado com uma coluna. Assim sendo, pode sim ser imparcial e contar com a opinião da entrevistadora, ignorando todas as leis de neutralidade jornalistica que, vamos concordar, neste país inexistem.

    Seu blog, já que estamos nele, também se enquadra neste grupo e, vamos concordar, se todo jornalista em todas as etapas da vida deve ser imparcial, você passou longe disso em seu texto. O mesmo encontra-se repleto de termos apaixonados, voltados para a defesa da religião católica. Vale lembrar que estamos em um país laico, caso não lembre, e devemos ser neutros diante de todas as religiões, independente de qual delas predomine.

    No que diz respeito a ciência, é sempre bom lembrar que toda discussão científica tem dois lados, o mesmo vale para economia, política e qualquer outro assunto. Assim sendo, antes de se apresentar como jornalista capaz de realizar uma crítica que se baseia na imparcialidade como critério de avaliação, pregue o mesmo em suas palavras.

    Att. Amanda Morais, internauta, formada em jornalismo, amante de design e cidadã ciente e consciente de que um diploma não te prende a profissão pelo resto da vida, apenas certifica de que você cursou algo até o fim.

    ResponderExcluir
  5. É corriqueiro perceber que muitos jovens se empenham para adquirir e produzir conhecimento científico, a idade de alguém não deve ser um discriminador de suas capacidades. Seja pelo "simples" bacharelado, pelo mestrado ou pelo doutorado em Cambridge, muito provavelmente, este jovem fez por merecer suas conquistas. Sinceramente sugiro que a senhora não empreenda julgamentos de potencial segundo a idade das pessoas.
    Vale salientar que os artigos trazidos pelo geneticista (que independente do seu credo é um cientista) possuem embasamento acadêmico e, portanto, servem como indícios verídicos - será que, para citá-los, o pesquisador também precisa ter 25 anos de estudo na área? Creio que até a senhora, que desconheço se possui outra formação além de jornalismo, tenha autoridade para citar pesquisas no campo.
    Ademais, só posso dizer que a apresentadora (muito competente no que faz), apresentou-se de modo sério e questionador, sempre respeitando o bom senso. Quem dera o entrevistado também fizesse isso.
    Desconheço seus conhecimentos em Teoria da Evolução (e se já o estuda há 25 anos), mas, visto que a senhora afirma que é uma questão de crença e se recusa a maiores exames, eu só posso crer que seu saber sobre o assunto é, na falta de outro adjetivo que o defina, impróprio.
    Na condição de estudante de psicologia por uma IES renomada, acompanho as constantes repreensões dos órgãos responsáveis
    pela profissão a Silas Malafaia; espero, em prol da imagem de todos os profissionais, a cassação do diploma de psicólogo que o pastor envergonha.

    ResponderExcluir
  6. A dra. Renate Jost de Moraes, assistente social, psicóloga e psiquiatra tem muitas respostas ao caso - nao com base em estudos mas em resultados - www.fundasinum.org.br - e os livros em que ela expoe os casos RESOLVIDOS sao As chaves do Inconsciente e Inconsciente Sem Fronteiras - seu blog é muito bom, por favor leia estes livros e vc poderá ajudar a muita gente. Os livros são técnicos, mas os casos sao gritantemente fáceis de entender e de verificar.

    ResponderExcluir
  7. Silas Malafai mentiu sobre Francis Collins.

    "Uma área de particular forte interesse público é a base genética da homossexualidade. As evidências de estudos com gêmeos de fato apoia a conclusão de que fatores herdáveis têm um papel na homossexualidade masculina."

    Eu não sei como alguém consegue estar errado com tanta frequência e em tal profundidade. Eu acho que é o ódio que guia para o erro. :)

    Fonte do que Collins DE FATO DISSE sobre genética da orientação sexual: http://wthrockmorton.com/2008/09/30/what-did-francis-collins-really-say-about-homosexuality/

    ResponderExcluir
  8. Quando o rei Davi perdeu seu companheiro Jonatas na batalha , disse que preferia o amor dele do que o amor das mulheres . Segundo livro de Samuel capitulo 1 vercicolo 26, na Bíblia evangélica ( Angustiado estou por ti meu irmão Jonatas; quão amabilissimo me eras ! mais maravilhoso me era o teu amor do que o amor das mulheres ) É obvio que se tratava de amor de amante do contrario nao teria usado estes termos, e se você tiver a paciência de ler a saga de Davi vai observar os encontros amorosos que eles tinham . Vejamos as mulheres da atualidade, que encontraram nos braços de outra mulher toda a amizade, respeito, carinho, apoio, afinidade, e o amor que não encontraram nos braços de outro Homem, e lançaram mão deste tipo de relacionamento para ter estabilidade emocional, o sr Malafaia não ve isto, a sua intensão é massacrar as pessoas colocando culpa , medo e fomentar a homofobia , ele pagou um mico quando disse que amava os homossexuais, se amasse abrassaria as suas causas , só conheço uma pessoa que disse isto com muita pro-piedade, o saudoso professor Ademar ramos, A ciência não classifica homossexualidade como doença porque esta careca de saber que existe homossexualidade no reino vegetal, animal e hominal, é logico em menor percentagem a grande maioria é heterossexual . Da ate tristesa de ver tanta desgraça e miséria em termos de consciência.

    ResponderExcluir
  9. Muito bom o texto, lúcido e elucidativo. Me sinto representada por estas palavras. Não sou católica, sou presbiteriana e tb não compartilho com a questão da teologia da prosperidade, mas Silas Malafaia é um homem de coragem e fala com firmeza mesmo doa a quem doer. Quando ao geneticista, este ainda tem muito arroz com feijão para comer mesmo. Obrigada pelas dicas de leitura. Parabéns!!

    ResponderExcluir